Perguntas sobre o trabalho são melhores que cartas de apresentação — aqui está o porquê

Tweet
Perguntas sobre o trabalho são melhores que cartas de apresentação — aqui está o porquê

*Texto por Sara Machado, Head of Recruitment na Hitmarker

Quando você inicia seu processo de contratação, às vezes você pede às pessoas candidatas que se candidatem à sua vaga com um currículo e uma carta de apresentação. Mas está ficando claro que as pessoas não gostam de escrever cartas de apresentação e as empresas geralmente não têm tempo – ou paciência – para lê-las. O resultado disso é uma perda de tempo de ambos os lados, onde a pessoa candidata está frustrada porque suas palavras foram ignoradas e a empresa está esgotada de vasculhar centenas de cartas escritas de forma semelhante.

Felizmente, existe uma solução para isso e é mais simples do que você imagina. As pessoas empregadoras podem tomar decisões de contratação mais inteligentes, em menos tempo, ao parar de pedir cartas de apresentação e pedindo às pessoas que respondam perguntas sobre o trabalho.

Às vezes chamadas de "amostras de trabalho" ou "perguntas de triagem", neste artigo vamos dizer o que são perguntas sobre o trabalho, o motivo delas melhorarem seu processo de contratação e como você pode implementá-las em sua empresa.

O que são perguntas sobre o trabalho?

As perguntas sobre o trabalho medem o quão eficaz uma pessoa candidata pode desempenhar uma função de trabalho, colocando-a em cenários hipotéticos semelhantes ao que ela experimentará ao trabalhar. Os cenários são apresentados como perguntas e, quanto mais próximo elas espelharem o trabalho real, mais confiáveis ​​​​elas serão.

Elas devem ser usadas ​​no primeiro estágio do processo de inscrição e podem variar desde perguntar às pessoas candidatas como elas reagiriam a uma pessoa usuária relatando um bug no site da empresa, até como elas responderiam a outro departamento pedindo ajuda quando estivessem sobrecarregadas com suas próprias tarefas.

A única coisa que as perguntas não devem fazer é pedir que as pessoas candidatas à vaga trabalhem de graça ou resolvam um problema existente dentro da empresa.

Embora as perguntas sobre o trabalho exijam um pouco mais de esforço do que simplesmente pedir às pessoas candidatas que enviem uma carta de apresentação, elas são consideradas muito mais preditivas em termos de adequação de uma pessoa a uma função. Por exemplo, a plataforma com sistema imparcial de recrutamento Applied descobriu que 60% das pessoas contratadas em seu processo de recrutamento que utilizaram perguntas sobre o trabalho teriam sido perdidas se tivessem feito uma triagem de currículo tradicional.

Por que devo usá-las ao invés de pedir uma carta de apresentação?

Simplificando: pois a maioria das cartas de apresentação hoje não é escrita com uma vaga em mente (a sua), enquanto as perguntas sobre o trabalho são. Pesquisamos centenas de pessoas candidatas a emprego de todos os cantos do mundo, vindos de todos os tipos de profissões e níveis de habilidade, e descobrimos que apenas 30,5% delas escreveram uma carta de apresentação exclusiva para cada vaga.

Isso é uma má notícia se a carta de apresentação for o indicador mais importante para você na hora de contratar. Isso significa que mais de 66% das cartas de apresentação que você recebe são um acordo geral de copiar e colar, e você pode perguntar a qualquer pessoa recrutadora o quão difícil é coletar informações úteis delas.

Se você está do outro lado da situação, no entanto, e não encontra muito valor nas cartas de apresentação, então é realmente justo solicitá-las quando você sabe que elas dificilmente serão lidas? Especialmente porque nem todos os setores exigem uma forte capacidade de escrita, o que é essencial ao escrever uma carta de apresentação, e que algumas deficiências tornam isso ainda mais difícil para as pessoas.

Aqui está outra coisa para você pensar: no mesmo relatório que mencionamos anteriormente, aprendemos que as perguntas sobre o trabalho são muito desejadas pelas pessoas candidatas. Um gritante 84,4% das pessoas disseram que preferem responder a perguntas sobre o trabalho do que enviar uma carta de apresentação tradicional. Portanto, se melhorar a experiência da pessoa candidata está no seu radar - como deveria estar em todas as empresas -, esse é outro motivo importante para fazer a transição para perguntas sobre o trabalho.

Se tudo isso não bastasse, você também precisa considerar que a seleção de pessoas candidatas por meio de cartas de apresentação abre porta para vários vieses inconscientes que entram em sua decisão de contratação, o que dificulta a construção de um grupo de talentos diversificado e dá à todas as pessoas candidatas uma chance justa.

Então, como faço para escrever perguntas sobre o trabalho?

Existem várias abordagens para criar perguntas sobre o trabalho. Aqui estão alguns passos baseados na metodologia aplicada para te orientar:

  1. Selecione as principais habilidades que seriam necessárias para ter sucesso no trabalho. Recomendamos uma mistura de 4-6 habilidades comportamentais e técnicas.
  2. Pense em situações da vida real que as pessoas candidatas encontrariam durante o trabalho que testariam as habilidades que você listou.
  3. Transforme-as em perguntas hipotéticas ("O que você faria se...")
  4. Elabore um critério de pontuação com definições claras e objetivas do que constituiria uma resposta ruim, boa e ótima.
  5. Teste as perguntas entre as pessoas funcionárias atuais no mesmo nível da função para a qual você está contratando.

Isso te ajudará a modernizar seu recrutamento com um método simples e imparcial que facilita a vida tanto para você quanto para as pessoas candidatas.

Mesmo com essas informações, sabemos que nem sempre é fácil transformar conselhos em ação. É por isso que oferecemos nossos serviços para empresas da indústria de games que buscam melhorar seu processo de contratação e #RethinkRecruitment. Se quiser saber mais, entre em contato com nossa Head of Recruitment, Sara Machado, para agendar uma conversa.

Entre em contato com Sara