Hitmarker divulga resultados de seu primeiro relatório sobre pessoas candidatas

Tweet
Hitmarker divulga resultados de seu primeiro relatório sobre pessoas candidatas

Tornar a busca de emprego mais fácil para as pessoas na indústria de games é uma de nossas missões. Tudo o que fazemos em nossa plataforma reflete isso, desde o feed de vagas selecionados até a área de conselhos de carreira disponíveis. Queremos tornar a busca de emprego mais fácil e melhor para todas as pessoas, e com nosso primeiro relatório sobre preferências de pessoas candidatas na indústria de jogos, acreditamos que demos um passo significativo nesse sentido.

Em 2021, produzimos uma pesquisa que perguntou às pessoas sobre seus gostos e desgostos ao procurar emprego. 632 participantes gastaram um total de 191 horas respondendo à pesquisa, ajudando-nos a construir uma imagem de como o recrutamento na indústria de games está atualmente e como deve ser melhorado. Analisamos como as respostas mudaram entre diferentes demografias, gêneros e níveis de experiência, o que deu lugar a alguns insights realmente reveladores.

PRINCIPAIS CONCLUSÕES:

  • Apenas 30,5% das pessoas candidatas escrevem uma carta de apresentação exclusiva para cada vaga.
  • 84,4% das pessoas candidatas classificam responder à perguntas específicas do trabalho como preferível ao invés de enviar uma carta de apresentação tradicional.
  • As rodadas de entrevistas automatizadas são amplamente detestadas pelas pessoas candidatas, com grupos sub-representados se sentindo mais desconfortáveis nessas configurações.
  • 70,9% das pessoas candidatas com pelo menos três anos de experiência descrevem a informação salarial como muito importante. Isso sobe para 84% entre os grupos sub-representados na mesma categoria.
  • 40,8% de todas as pessoas candidatas consideram as descrições das vagas com uma linguagem neutra como muito importantes, com esse número aumentando drasticamente entre grupos sub-representados e pessoas não binárias em particular.
  • O desafio número um que as pessoas candidatas enfrentam quando procuram emprego é a falta de feedback, seguida pela falta de empregos para iniciantes e, depois, pela falta de informações salariais.

Você pode visualizar e baixar o relatório gratuitamente aqui, em inglês, ou continuar lendo para obter uma visão geral de suas descobertas.

SEÇÃO Nº 1: PREFERÊNCIAS DA PESSOA CANDIDATA NA DESCRIÇÃO DA VAGA

Benefícios

Todas as pessoas candidatas:

  • Enquanto 37,5% de todas as pessoas candidatas consideraram muito importante incluir os benefícios da empresa na descrição da vaga, isso aumentou para 45,8% entre mulheres cisgênero e 52,6% para indivíduos BIPOC.

Pessoas candidatas com empregos em tempo integral e mais de três anos de experiência:

  • Pessoas candidatas experientes valorizam ainda mais as informações sobre benefícios. 51,9% de participantes com emprego em tempo integral e pelo menos três anos de experiência consideraram a informação sobre benefícios muito importante, algo que subiu para 58,8% entre as pessoas candidatas BIPOC e para 66,7% mulheres cisgênero.

Principais conclusões:

  • As informações sobre benefícios tornam-se 14,4% mais importantes para pessoas candidatas com pelo menos três anos de experiência.
  • Em todos os grupos que analisamos, as mulheres cisgênero e indivíduos BIPOC valorizavam mais as informações transparentes sobre os benefícios.

Cultura

Todas as pessoas candidatas:

  • Apenas 33,7% dos homens cisgêneros disseram que definir a cultura de uma empresa em uma descrição de trabalho era muito importante, em comparação com 45,9% das pessoas candidatas BIPOC, 43,1% das pessoas candidatas com deficiência e 41,7% das mulheres cisgênero.

Pessoas candidatas com empregos em tempo integral e mais de três anos de experiência:

  • 45,6% das pessoas candidatas com pelo menos três anos de experiência classificaram a cultura da empresa como muito importante. Isso aumentou para 52,9% para indivíduos BIPOC e 61,5% para pessoas com deficiência. De fato, depois de excluir o grupo mais representado da indústria, homens cisgêneros brancos, isso aumentou para 68%, com apenas uma única resposta para a cultura da empresa não ser importante.

Informação chave:

  • As informações sobre a cultura da empresa são mais significativas para grupos que historicamente não tem sido bem representados na indústria de games.

Localização

Todas as pessoas candidatas:

  • 67,9% das pessoas candidatas classificaram a localização como muito importante em comparação com 72,4% das pessoas com deficiência.

Pessoas candidatas com empregos em tempo integral e mais de três anos de experiência:

  • 64,6% das pessoas candidatas consideraram muito importante a informação sobre o local de trabalho. Mais uma vez, quando olhamos apenas para as pessoas com deficiência, esse número salta para 76,9%.

Informação chave:

  • Ser claro sobre seu local de trabalho, especificamente em relação às opções remotas e horários flexíveis, melhora a experiência da pessoa candidata e aumenta a relevância das inscrições.

Progressão

Todas as pessoas candidatas:

  • Mais de 70% de todas as pessoas candidatas indicaram que a informação de progressão é importante para elas, com 34,5% achando muito importante.

Pessoas candidatas com empregos em tempo integral e mais de três anos de experiência:

  • As informações de progressão foram muito importantes para 39,2% das pessoas candidatas com emprego em tempo integral e mais de três anos de experiência, um ligeiro aumento se comparado com 34,5% ao analisar todos as pessoas candidatas.
  • Entre as pessoas candidatas mais experientes, 44,4% das mulheres cisgênero e 58,8% de pessoas BIPOC acharam a informação de progressão muito importante, em comparação com 38% dos homens cisgênero.

Informação chave:

  • As mulheres e pessoas BIPOC não são representadas proporcionalmente em cargos de alto escalão na indústria. Ser claro e transparente sobre a progressão da função na descrição da vaga pode ajudar a direcionar mais pessoas de grupos sub-representados para cargos seniores.

Salário

Todas as pessoas candidatas:

  • 56,7% de todos os homens cisgêneros disseram que a informação salarial era muito importante para eles, em comparação com 66,7% das mulheres cisgênero e 68,1% das pessoas transgênero.

Pessoas candidatas com empregos em tempo integral e mais de três anos de experiência:

  • 70,9% das pessoas candidatas experientes consideraram a informação salarial muito importante. Isso saltou para 84% ao olhar para todos os grupos, exceto homens cisgênero.

Informação chave:

  • Adicionar informações salariais nos seus anúncios de emprego é uma das etapas mais fáceis que você pode tomar para atrair um público mais amplo e diversificado.

Linguagem neutra

Todas as pessoas candidatas:

  • Apenas 40,8% de todos as pessoas candidatas classificaram as descrições de vagas com uma linguagem neutra como muito importantes. Esse número caiu para 31,9% entre homens cisgêneros, comparado com 52,1% entre mulheres cisgêneros, 55,3% entre pessoas com deficiência e 73,3% entre participantes não-binários.

Pessoas candidatas com empregos em tempo integral e mais de três anos de experiência:

  • 39,2% das pessoas candidatas experientes consideraram as descrições de vagas com uma linguagem neutra muito importantes. Sem o grupo mais representado da indústria, homens cisgêneros, a porcentagem subiu para 48% com apenas uma (4%) resposta para algo abaixo de algo importante (em comparação com 18% entre homens cisgêneros incluídos).
  • 53,8% das pessoas candidatas com deficiência e 52,9% dos indivíduos BIPOC classificaram as descrições de vagas com uma linguagem neutra como muito importantes.

Informação chave:

  • Usar uma linguagem neutra em seus anúncios de emprego os torna muito mais acessíveis a grupos sub-representados, especialmente pessoas não binárias.

SEÇÃO #2: PREFERÊNCIAS DA PESSOA CANDIDATA NO PROCESSO DE INSCRIÇÃO

Carta de apresentação

Todas as pessoas candidatas:

  • Apenas 30,5% das pessoas candidatas disseram que escrevem uma nova carta de apresentação para cada vaga. Isso subiu para 37,5% entre as mulheres cisgênero e 43,3% entre as pessoas entrevistadas não-binárias, enquanto caiu para 27,2% entre os homens cisgênero.

Pessoas candidatas com empregos em tempo integral e mais de três anos de experiência:

  • Embora pessoas candidatas experientes escrevam cartas de apresentação exclusivas com mais regularidade, é uma margem estreita. 34,2% das pessoas entrevistadas com empregos em tempo integral e pelo menos três anos de experiência em jogos disseram que escrevem uma nova carta de apresentação para cada inscrição.
  • 28% dos homens cisgêneros neste grupo responderam que sempre escrevem uma carta de apresentação única em comparação com 55,6% das mulheres cisgênero, 35,3% de indivíduos BIPOC e 46,2% das pessoas com deficiência.

Informação chave:

  • Os grupos menos representados na indústria tendem a se esforçar mais em suas cartas de apresentação do que os homens cisgêneros.

Perguntas específicas do trabalho

Todas as pessoas candidatas:

  • Um enorme 84,4% de todas as pessoas candidatas disseram que as perguntas específicas do trabalho eram preferíveis às cartas de apresentação, mostrando que há um enorme desejo de mudança nessa área.

Pessoas candidatas com empregos em tempo integral e mais de três anos de experiência:

  • Esse número subiu muito marginalmente para 84,8% das pessoas candidatas experientes dizendo que perguntas específicas do trabalho seriam preferíveis a uma carta de apresentação tradicional. Não importa sua senioridade, as pessoas estão cansadas de enviar cartas de apresentação que não representam necessariamente sua habilidade adequada para um trabalho.

Informação chave:

  • Usar perguntas específicas do trabalho em vez de cartas de apresentação pode aumentar a relevância do seu grupo de pessoas candidatas e é fortemente desejado. Elas também tornam seu processo menos tendencioso contra pessoas candidatas com deficiência e falantes não nativos.

Primeiras entrevistas automatizadas

Todas as pessoas candidatas:

  • Enquanto 20,1% das pessoas candidatas se sentiam um pouco à vontade com entrevistas automatizadas, 19,5% se sentiam muito desconfortáveis ​​com elas.
  • As entrevistas automatizadas são especialmente desconfortáveis ​​para alguns grupos. 46,7% das pessoas não-binárias classificaram como muito desconfortável, seguido por 26,4% das pessoas candidatas transgêneros, 23,6% das mulheres cisgênero e 22,8% das pessoas com deficiência. Isso é comparado com 14,9% dos homens cisgêneros.

Pessoas candidatas com empregos em tempo integral e mais de três anos de experiência:

  • 22,8% das pessoas candidatas experientes ficaram muito desconfortáveis ​​com as primeiras etapas automatizadas, enquanto outros 20,3% ficaram desconfortáveis.
  • Entre os homens cisgêneros desse grupo, 20% ficaram muito desconfortáveis ​​com entrevistas automatizadas em comparação com 38,5% das pessoas com deficiência e 27,8% das mulheres cisgênero.

Informação chave:

  • As primeiras entrevistas automatizadas geralmente são desagradáveis ​​e não fornecem uma experiência de qualidade à pessoa candidata, além de diminuir o tamanho do seu grupo de pessoas inscritas e diminuir sua diversidade.

---

Para ler o relatório completo de 26 páginas, em inglês, clique aqui.